Dirigido por Dimas Oliveira, filme “Sila”, gravado em Taubaté, recebe 4 prêmios no Festival de Cinema da Serra da Ibiapaba

Gravado em Taubaté (SP), filme Sila vence as categorias “Melhor Atriz”, “Melhor Direção de Fotografia de filme Nacional”, “Melhor Direção de Arte” e “Melhor Trilha Sonora”

No último dia 30 de janeiro, o Festival de Cinema da Ibiapaba, que tem como objetivo premiar produções audiovisuais nacionais que abordam os mais variados gêneros, anunciou os vencedores das categorias do evento. O filme “Sila”, produzido e dirigido pelo cineasta Dimas Oliveira, venceu 4 das 5 categorias as quais estavam indicados no festival. 

A produção, que foi gravada em Taubaté, interior de São Paulo, conquistou os títulos de “Melhor Direção de Fotografia de Filme Nacional”, “Melhor Direção de Arte”, “Melhor Trilha Sonora” e a categoria de “Melhor Atriz”, representada pela atriz Luana Dias, que interpreta a protagonista Sila na produção. 

Idealizado, produzido e dirigido pelo cineasta Dimas, “Sila” conta a história dos sobreviventes do massacre de 1938 no sertão Nordestino, através da ótica feminina de Ilda Ribeiro, ex-cangaceira Sila. Inicialmente era para ser apenas um documentário, que foi onde Dimas conheceu Sila. O projeto foi realizado com a participação da ex-cangaceira e recebeu o nome de “Mulheres no Cangaço”. Teve estreia na extinta Rede STV Sesc Senac de Televisão. Mas a vontade de ir além, continuou e assim nasceu o filme.

“Vencer essas categorias é uma sensação muito boa de missão cumprida, de saber que fez algo que está sendo reconhecido.  Não existe uma distinção de quem gostou mais ou menos, é um sentimento unificado entre toda a equipe artística, técnica e de produção”, aponta Dimas sobre os prêmios. 

Alcançar reconhecimento em 4 categorias é resultado de um trabalho árduo para a realização de um projeto com qualidade. Para Dimas, cada categoria tem sua devida importância e receber cada prêmio é gratificante. “Todas as categorias têm o mesmo peso, o que conta é o reconhecimento ao trabalho em seu todo, pois um filme é um trabalho de equipe e todos estavam envolvidos, como no caso da premiação de melhor atriz, que teve o talento do preparador de elenco Vinicius Feller dando todo o suporte para a construção da personagem Sila, para a atriz Luana Dias”, aponta o Cineasta. “Foi um grande orgulho para todos e preciso aplaudir Cadu Rosenfeld e Gigi Gasparetto que foram os diretores de fotografia do filme , os músicos Vitor Machado e Gabriel Scavacini criadores da trilha sonora e a atriz Luana Dias que interpretou a ex-cangaceira”, completa. 

Atriz Luana Dias (SILA)

A conquista do prêmio como “Melhor Atriz”, da atriz Luana Dias, se dá pelo belíssimo trabalho, empenho e dedicação de dar vida à personagem Sila, protagonista da história. “Sila, foi meu maior desafio como atriz até aqui e meu melhor presente. As barreiras foram várias, primeiramente o sotaque, depois a realidade que ela viveu, seca, fome, de ser sequestrada, violência, fugas… Foi um estudo intenso, dedicação, muitas rezas também para chegar na verdade de Sila. A prospecção que Sila, ganhou hoje, é merecida, fizemos tudo com muito respeito aos envolvidos e com muito amor, e este seria o resultado de tanta dedicação”, declara a atriz. 

Sobre o reconhecimento do festival, o cineasta Dimas Oliveria, principal responsável pelo filme, afirma: “O Cine Ibiapina – Festival de Cinema da Serra da Ibiapaba (Ceará), tem uma relevância muito significativa no Brasil para as produções audiovisuais, realizado pela Prefeitura Municipal de Ibiapina através da Secretaria de Cultura, onde SILA concorreu entre 614 obras audiovisuais de 173 municípios do Brasil (dos 26 Estados e Distrito Federal)! É uma acirrada competição, mas o importante é competir sempre. É a Adrenalina da alma do artista! E SILA agora prossegue sua caminhada em outros festivais e indo para exibições na TV”, finaliza.

No momento o cineasta está em pré-produção do seu próximo longa-metragem, que conta uma história real ocorrida na cidade de Taubaté, no século XIX. O projeto é uma comédia e que promete trazer revelações ocultas do período do Império Brasileiro. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *